Avaliação de Fornecedores

6 critérios que devem ser avaliados na seleção de fornecedores

Voltar | Por Efcaz 18/12/2018

A seleção de fornecedores sempre foi importante, mas nunca como na atualidade. No cenário atual, é muito difícil desenvolver uma operação de excelência — eficaz em entregar um valor superior para os clientes —, sem apoio e envolvimento desses importantes parceiros.

A atividade empreendedora é hoje muito mais sofisticada e, antes de tudo, implica em compreender que a atividade produtiva ocorre em cadeia, e não apenas isolada em cada negócio.

No entanto, essa compreensão não é suficiente. O verdadeiro desafio está em criar um alto nível de sinergia entre os agentes dessa cadeia, especialmente com os nossos fornecedores.

Essa estratégia não pode obter sucesso sem uma boa seleção. Afinal, é muito mais fácil conseguir um bom alinhamento a partir de uma compatibilidade prévia. Então, conheça os critérios que selecionamos como prioritários nessa tarefa!

Por que a seleção de fornecedores é importante?

Antes de tratar propriamente dos critérios, vamos nos deter por mais algumas linhas sobre a importância da seleção de fornecedores. Essa é uma reflexão pertinente e que você deve fazer continuamente. Isso porque, compreender os motivos dessa relevância ajuda a determinar a prioridade de cada critério.

Ou seja, se concluímos, por exemplo, que a seleção é importante para garantir o cumprimento de prazos, deduzimos automaticamente que o comprometimento e a capacidade do fornecedor de atender essas necessidades devem estar entre os pontos considerados.

Além do aspecto essencial que citamos na introdução, considere também que existe uma enorme distância entre o processo de negociação e o de seleção. Por mais que um fornecedor nos pareça comprometido, adequado e com uma boa proposta de negócio, a negociação pode ser mais focada na obtenção de uma condição favorável quando os fornecedores foram previamente selecionados.

Em outras palavras, no momento da compra, você não precisa se preocupar em deduzir se o fornecedor está em condições de honrar sua promessa, pois já fez isso antes. A seleção fornece informações precisas sobre o grau de confiabilidade de cada fornecedor, permitindo que o departamento de compras faça a sua opção com a segurança de baseá-la em fatos, no lugar de impressões.

Quais os 6 critérios principais da seleção de fornecedores?

1. Histórico da empresa no mercado

Esse é um dos critérios mais importantes de seleção, pois fornece informações de desempenho com base em fatos perfeitamente verificáveis. Se um determinado fornecedor pode comprovar que atendeu empresas semelhantes a sua, com eficiência, é justo supor que ela está em condições de fazer o mesmo no seu caso.

Isso não significa que você deva negar uma chance para empresas novas no mercado, especialmente quando elas oferecem serviços inovadores. Contudo, você pode fazer essa experiência com a cautela devida. Por exemplo, com pedidos menores em um primeiro momento.

Além disso, os critérios funcionam quando usados de forma combinada. Desse ponto de vista, um histórico pequeno pode ser compensado por um alto grau de inovação, pela comprovação da capacidade produtiva e da capacidade financeira, por exemplo.

2. Saúde financeira do fornecedor

Por melhor que nos pareça um fornecedor, ele pode ter dificuldades de cumprir seus compromissos, se estiver com dificuldades de caixa. Problemas pontuais podem atingir qualquer empresa, mas um histórico contínuo (de dívidas e atrasos) compromete o seu funcionamento e se agrava com o tempo.

Por isso, esse é um critério que precisa ser monitorado continuamente, mas especialmente importante no momento de seleção. A consulta é simples e, em razão disso, esse é um critério bastante objetivo — o que é sempre uma vantagem.

3. Capacidade produtiva

Uma empresa com excelente qualidade, mas pouca capacidade produtiva pode ser uma ótima parceira no fornecimento de matéria prima e insumos para produtos com baixa demanda, mas pode comprometer seus prazos e sua receita, no caso dos que têm alta rotatividade.

Poucos problemas são mais prejudiciais do que a produção parada por atrasos de entrega e itens em falta. Por isso, é fundamental que investigue a capacidade de entrega de acordo com as suas demandas de quantidade e prazo.

4. Nível de adoção de boas práticas

A qualidade é outro requisito primordial. Dissemos requisito porque esse critério deixou de ser um diferencial há muito tempo. Quem não tem qualidade está destinado a ficar fora do mercado.

Levantar indicadores sobre a qualidade dos produtos de cada fornecedor e investigar os resultados de implantação de programas de qualidade deve ser um critério eliminatório.

5. Competências em gestão da inovação

Não é muito fácil definir o que é uma empresa inovadora. A inovação só é comprovada quando ela é aceita pelo mercado. Antes disso, é apenas uma invenção. Mas, quando uma empresa têm propostas inovadoras resultando de uma política de gestão da inovação, é mais seguro que elas alcancem sucesso no mercado.

Isso significa que o seu critério para medir o quanto um fornecedor é inovador é mais seguro quando ela identifica que ele aplica uma metodologia testada que favoreça a inovação. Ou seja, não bastam boas ideias.

6. Custos e flexibilidade

O preço é sempre um critério importante. Afinal, influencia diretamente na sua competitividade, uma vez que impacta nos seus custos e, consequentemente, no seu preço final.

Mas o critério de preço é mais valioso quando avaliado considerando todos os custos indiretos. Um fornecedor geograficamente distante, por exemplo, costuma significar um frete mais alto. Do mesmo modo, a flexibilidade de negociação faz bastante diferença, especialmente nos momentos em que a empresa implanta novos projetos e produtos, que precisam ser testados no mercado antes de proporcionar lucros — inclusive para o fornecedor.

Como montar um cadastro de fornecedores?

Todos esses critérios só podem ser aplicados na prática e em toda a sua utilidade se as informações sobre a seleção estiverem organizadas e forem: confiáveis e acessíveis. Em razão disso, você precisa de um bom cadastro para se beneficiar ao máximo da seleção.

Algumas classes de dados de cadastro são indispensáveis, como:

  • os cadastrais: CNPJ, endereço etc.;
  • os de histórico: pedidos, devoluções, valores, descontos etc.;
  • os de seleção: sobre o atendimento de critérios.

Contudo, o mais importante do seu cadastro é garantir que esses dados permaneçam seguros e acessíveis. Se você precisar fazer um levantamento a cada vez que precisa de informação, vai comprometer a produtividade do departamento de compras e limitar o seu acesso à informação.

Por isso, o ideal é utilizar a tecnologia para automatizar esses levantamentos e, desse modo, fazer com que o cadastro trabalhe a seu favor, e não o contrário. Deixar de investir em um bom sistema de gestão de fornecedores é prejuízo certo.

Para concluir, vale mencionar que esse processo é facilitado com a adoção de critérios objetivos como os que citamos para você, mas isso não significa que você deva ignorar aqueles mais subjetivos, como o alinhamento de propósito e de valores.

Isso porque, mesmo que você possa definir medidas para se proteger em relação à adoção de certos valores por parte do fornecedor, aqueles que você considera inaceitáveis, o relacionamento fica muito mais fácil quando você não precisa se preocupar demasiadamente com isso e pode focar em questões mais importantes para a melhor seleção de fornecedores.

Uma delas é sempre se manter informado sobre o tema. Para isso, siga nossas páginas nas redes sociais e tenha acesso direto ao nosso conteúdo. Estamos no FacebookLinkedIn e LinkedIn Showcase.

Compartilhe:

A solução ideal para otimizar sua Gestão de Fornecedores e Contratos.

Comece sua inovação agora mesmo

Confira nossas redes sociais:


English EN Portuguese PT Spanish ES