Gestão de Fornecedores

7 dicas essenciais para melhorar o relacionamento com fornecedores

Voltar | Por Efcaz 19/7/2018

Melhorar o relacionamento com fornecedores é fundamental para conseguir melhores preços, reduzir falhas e garantir o cumprimento de prazos. Diferentemente dos relacionamentos pessoais, em que as relações costumam envolver tolerância e um nível especial de fidelidade, as profissionais são criadas com base em objetivos comuns, racionalidade, clareza e objetividade.

No final, o resultado é a produção de um alto nível de alinhamento que melhora a produtividade, a qualidade e a competitividade do negócio. Pronto para entender melhor como isso ocorre? Então, continue a leitura e confira!

1. Valorize os bons fornecedores

A valorização mútua é um dos pilares do bom relacionamento profissional. Por isso, é fundamental fazer uma boa análise da qualidade do serviço prestado e do cumprimento dos prazos estabelecidos, por exemplo.

Ao efetuar um levantamento criterioso sobre o desempenho de cada fornecedor, você consegue determinar aqueles que valem a pena investir em uma parceria mais forte. Desse modo, você consegue garantir melhores resultados para o seu negócio e, ao mesmo tempo, fortalece o relacionamento com os fornecedores que podem responder mais positivamente ao seu reconhecimento.

2. Crie um canal direto de comunicação

O relacionamento é construído quase que integralmente por meio da conversação. Ela é o meio de transmissão de feedback, de negociação de prazos e preços, de manifestações de problemas, solicitação de pedidos e assim por diante.

Sem um canal direto e de fácil utilização, o fluxo de comunicação fica prejudicado. Algumas vezes por excesso de mensagens, ligações e contatos, e outras, pela sua falta. Um canal direto, que centralize o registro de interações, publicação de documentos e a fácil consulta a essas e outras informações, ajuda a organizar sua comunicação, aumenta sua eficiência, evita a perda de dados, melhora a produtividade e permite focar mais nas questões estratégicas.

3. Alinhe processos e prazos

Parte dessas questões estratégicas está no alinhamento desses elementos. Quando o seu fornecedor trabalha como um braço da cadeia de suprimentos de forma ativa e participativa, a qualidade do relacionamento melhora naturalmente, pois ele assume um papel mais colaborativo no sentido de contribuir para que os processos funcionem.

Obviamente, não há como desenvolver essa contribuição sem que ocorra esse alinhamento. Importante mencionar que essa deve ser uma ação de dois sentidos. Afinal, seu fornecedor também tem seus processos e prazos e, em muitas situações, pode ser mais viável para a operação programar algumas etapas produtivas considerando as condições do seu fornecedor, desde que não comprometa os seus processos.

Contudo, ainda que essa exceção possa ocorrer, o objetivo principal é o de garantir que suas demandas de previsão de estoque sejam cumpridas sem falhas. Quando esse alinhamento é possível, as chances de ocorrerem problemas é muito menor e até os custos podem diminuir em razão do esforço conjunto de otimização dos processos.

4. Pense no longo prazo

Pensar nesse horizonte de tempo não é tolerar falhas por um período extenso, mas ter a consciência de que o imediatismo na obtenção de resultados pode favorecer políticas nocivas com o passar do tempo. Normalmente, essas decisões que visam resultado imediato estão relacionadas às negociações de preço que, como sabemos, exercem grande pressão nos dois lados. Entretanto, elas também podem envolver outras questões.

O que fica claro quando refletimos sobre essa particularidade, é que a adoção de uma visão de longo prazo é um incentivo para os bons fornecedores. Quando eles reconhecem esse posicionamento na sua empresa, percebem que vale a pena se dedicar com mais afinco para atender suas necessidades.

Além disso, conforme o tempo passa e o relacionamento se fortalece, o fornecedor aprende cada vez mais sobre sua rotina de produção e desenvolve uma melhor capacidade de contribuir. Ao mesmo tempo, isso não pode criar alguma espécie de dependência dele. Para evitar isso, você deve poder contar com alternativas e, também, não deve estabelecer essa política com uma única empresa.

5. Estabeleça uma relação de reciprocidade

As boas relações comerciais são baseadas em uma política em que todos os envolvidos ganham. A velha ideia de pressionar os fornecedores de forma excessiva para diminuírem preços e prazos não tem bons efeitos no relacionamento.

Observar essa questão não significa negar que a negociação é importante. Não se trata de ser inocente e acreditar que os fornecedores não estão interessados em obter o máximo de lucro. É justamente o contrário.

Valorizar uma relação de reciprocidade garante a clareza, para ambas as partes, de que quanto melhor for à resposta a um benefício, maior é a probabilidade de que ele seja mantido.

6. Acompanhe os indicadores de desempenho

Não há como criar uma relação saudável sem objetividade. Quando você consegue mensurar o desempenho de cada fornecedor e pode transmitir essa informação de forma direta, você diminui a possibilidade de erros de interpretações, facilita que suas expectativas sejam atendidas e que os problemas possam ser corrigidos.

Por um momento, imagine como seria se seus clientes informassem o que você precisa melhorar para que comprassem mais de você. Assim, ao se dedicar em aprimorar pontos-chave da sua relação comercial com eles, você favorece um relacionamento de longo prazo.

De outro lado, quando esses dados não estão disponíveis, as manifestações de descontentamento soam como simples reclamação. O efeito disso é negativo para o relacionamento porque cria um estresse improdutivo.

7. Use uma ferramenta de gestão

Como pôde notar ao ler esta postagem, o bom relacionamento depende de uma série de fatores. A essência da prática está em alinhar processos, de modo a garantir o foco mútuo na otimização da gestão de produção.

Alguns dos aspectos citados, como a comunicação eficiente e o acompanhamento de indicadores, demonstram a necessidade de se dedicar a criar um modelo de gestão compatível com os objetivos estratégicos do negócio e, ao mesmo tempo, com as boas práticas de relacionamento.

Não há como esperar boas relações em cenários caóticos. Esse termo pode até ser um pouco exagerado, mas o que queremos dizer é que, quanto menores os problemas, erros e prejuízos, melhor é a relação entre os envolvidos. Nesse sentido, a boa gestão é o centro do bom relacionamento!

Para conseguir os melhores resultados, você precisa de uma solução tecnológica que tenha sido desenvolvida de acordo com todas as particularidades que envolvem a relação que descrevemos para você nesta postagem.

Por isso, funções como a virtualização de documentos, o auto cadastro dos fornecedores, as relativas à homologação e a qualificação deles, o acompanhamento de KPIs e assim por diante, são primordiais para melhorar o relacionamento com fornecedores.

Gostou deste post? Quer saber mais sobre o assunto? Então, entre em contato conosco e solicite detalhes para nossa equipe.

Compartilhe:

A solução ideal para otimizar sua Gestão de Fornecedores e Contratos.

Comece sua inovação agora mesmo

Confira nossas redes sociais:


English EN Portuguese PT Spanish ES